Como funciona o PCP – Planejamento e Controle de Produção

por | fevereiro 11, 2015

Para ter uma empresa de sucesso, é essencial planejar, programar e controlar o que se produz. O mercado tem sido cada vez mais exigente e as empresas que não estão dispostas a cumprir essas três etapas de produção terão muito mais dificuldade de levar o negócio para frente. Uma boa gestão é fundamental para que a empresa cresça e seja referência no que produz.

Para auxiliar na gestão, existe um processo chamado Planejamento e Controle de Produção (PCP), que integra o gerenciamento das principais atividades da empresa. O PCP é responsável pelos recursos operacionais de produção, como o planejamento, a programação e o controle. Além disso, também determina as quantidades produzidas, o layout da planta, as etapas dos processos de manufatura e a designação da mão-de-obra. A partir desses fatores, é criado o Plano Mestre da Produção (PMP), que expõe as diretrizes do processo geral.
Principais funções do PCP

O PCP serve para definir diversos fatores que acontecem nos processos que ocorrem antes, durante e depois da implementação de uma empresa. Basicamente, o PCP deve responder o que será feito, por quem, como, por que, com que recursos, onde e quando. Para que o planejamento seja efetuado com sucesso, é necessário que sejam feitos documentos e planos para auxiliar na organização.

Esse plano é responsável principalmente por dar suporte à gerência nos momentos de tomada de decisão. Normalmente as empresas possuem departamentos especializados em PCP, para conseguir gerenciar problemas específicos de cada setor. O plano não se aplica apenas ao processo de produção, mas também aos níveis tático, financeiro e de vendas.
Etapas do PCP

O Planejamento de Controle de Produção está envolvido em diversas ações da empresa, nos mais variados setores. Uma delas é a previsão de demanda, que está diretamente relacionada à gestão de estoque, já que auxilia os gerentes a controlarem os recursos necessários, tanto os humanos quanto os materiais.

Outra ação muito importante que utiliza o PCP é o planejamento da capacidade de produção, que trabalha com as demandas de médio a longo prazo. A partir dele, é possível determinar a necessidade de aumento ou adequação da capacidade de produção.

Dentro do PCP, também existe o Planejamento Agregado da Produção (PAP), que serve para selecionar as melhores estratégias de produção da empresa. Nessa etapa, as principais decisões estão relacionadas ao volume de produção e estoque mensal, contrações e demissões de funcionários, horas-extras, serviços de logística e contratos de fornecimento.

Outra etapa bastante comum ao PCP é a Programação Mestra da Produção (PMP), que serve para operacionalizar os planos da produção em curto prazo. Nessa etapa, os recursos devem ser direcionados no tempo ideal para produção de uma quantidade certa em um período determinado.

 

Por fim, uma das etapas fundamentais é a Programação Detalhada da Produção (PDP), que define a operação da empresa durante toda a rotina diária. A PDP envolve diversas atividades, tais como a emissão e liberação de ordens, a administração de materiais e a sequência das ordens de produção.

Baixe grátis nossa Planilha de Curva ABC: banner materiais educativos
Baixe grátis nossa Planilha de Preços de Promoções: banner materiais educativos

5 ideias sobre “Como funciona o PCP – Planejamento e Controle de Produção

  1. Júlia Dória

    Boa tarde,

    Vocês conhecem alguma empresa na região de Belo Horizonte que ministre este treinamento?

    Responder
  2. Jossirton

    Quem trabalha no PCP, é ideal que tenha um conhecimento de Excel. Vai ajudá-lo na hora de montar suas ferramentas de controle.

    Responder
  3. oi

    ola, dentro deste parágrafo esta escrito errado a palavra contratações, só para arrumar.
    “Dentro do PCP, também existe o Planejamento Agregado da Produção (PAP), que serve para selecionar as melhores estratégias de produção da empresa. Nessa etapa, as principais decisões estão relacionadas ao volume de produção e estoque mensal, contrações e demissões de funcionários, horas-extras, serviços de logística e contratos de fornecimento.”

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *