A curva ABC na administração de estoque: entenda as aplicações

By | 18 de dezembro de 2014

A gestão dos estoques é um dos fatores mais importantes para que haja boa saúde financeira nas empresas, eliminando-se alguns custos desnecessários e melhorando as operações internas e a distribuição de produtos – o que acarreta ainda em uma maior competitividade no mercado. Nesse sentido, classificar as mercadorias estocadas é uma tarefa essencial para o processo, e existem várias ferramentas disponíveis para que os administradores e gerentes cumpram essa demanda. Um dos sistemas mais tradicionais é o que usa a chamada Curva ABC. Você conhece esse método e sabe como ele pode ser usado na administração dos estoques? Conheça as aplicações!

O que é a Curva ABC?

A Curva ABC, também chamada de Curva 80-20, é um método de classificação de informações, o qual teve origem em uma teoria do economista italiano Vilfredo Pareto. Em um estudo sobre riqueza, o pesquisador identificou que apenas 20% da população concentrava a maior parte da fortuna do mundo, correspondente a 80% do patrimônio global.

Empregado no campo administrativo e em outras ciências, a teoria de Pareto foi acomodada em uma ideia de que 80% das consequências se originam a partir de 20% das causas. No campo imediato da gestão de estoques, isso pode ser visualizado na identificação daqueles itens que possuam maior impacto ou importância nas vendas, os quais são normalmente em número bastante menor em comparação aos restantes.

Por que aplicar a Curva ABC na gestão de estoques?

Através da classificação estabelecida por este método, é possível se determinar, de maneira muito eficaz e objetiva, o grau de importância das mercadorias estocadas. Isso permite que o gestor, ou aquele que estiver à frente da organização, consiga elementos seguros para planejar diferentes níveis de controle para tipos de produtos que sejam distintos, de acordo com a constatação de sua relevância para a empresa.

Como fazer uma Curva ABC?

É claro que a aplicação efetiva do sistema é mais complexa e cheia de detalhes, e deve ser feita por profissionais gabaritados, mas é muito simples entender como funciona a Curva ABC. As três letras servem para classificar os produtos estocados dentro de grupos determinados, o que será feito levando-se em conta seu valor unitário, participação nas saídas (vendas), preço de manutenção e outros fatores que possam ter influência direta no impacto que a mercadoria representa para a empresa.

Geralmente, no grupo A ficam os itens de alta prioridade para a empresa, distribuídos em 20% dos estoques, mas correspondendo a 80% da importância efetiva. No grupo B estão os artigos intermediários, correspondendo mais ou menos a 30% dos estoques e 15% do valor agregado. E finalmente, no grupo C, encontram-se os itens de baixa prioridade, que são em torno de 50% das mercadorias, mas que satisfazem somente 5% do valor disseminado nos estoques.

Sabendo quais são os itens mais importantes, fica mais fácil traçar as estratégias para melhorar os fluxos de entradas e saídas mais relevantes, otimizando as operações relacionadas, evitando os desperdícios de recursos financeiros, mão de obra e tempo, e dessa forma aumentando os lucros da empresa. A ferramenta será útil não apenas para traçar a política de vendas, mas para identificar os itens que carecem de atenção especial e corrigir falhas operacionais. Você já pensou em utilizar a Curva ABC nos seus estoques?

Baixe grátis nossa Planilha de Curva ABC: banner materiais educativos
Baixe grátis nossa Planilha de Preços de Promoções: banner materiais educativos